domenica 18 gennaio 2009

"Entropinada"

Cerny é o autor da escultura Entropa, encomendada pela presidência da UE, a cargo da República Checa, e que está a causar viva polémica em Bruxelas.

A encomenda visava discutir preconceitos vigentes em relação a cada um dos Estados membros da UE, englobando 27 obras de artistas dos diferentes países. No entanto, Cerny ignorou o acordo e produziu a escultura com as suas ideias (com ajuda de colaboradores) inventando os autores nacionais. O trabalho custou 50 mil euros à presidência checa.

Entropa imita os jogos de modelagem, com as peças de montar destacáveis presas numa grelha. A peça portuguesa é uma tábua de bifes, onde a carne tem a forma das ex-colónias (Brasil, Angola, etc.). O estereótipo era o colonialismo e a autoria pertencia a uma inexistente Carla de Miranda.

Tal como DN noticiou na sua edição de ontem, não apenas Carla de Miranda não existe, mas o seu currículo foi copiado de uma escultora real, Beatriz Cunha.


Esta é a cinderela que podia ter ido ao baile em Bruxelas,

----Trabalho - Trabalho - Trabalho - Trabalho ----


e em vez disso ficou em casa. Ficou em casa a pensar por qual motivo ninguém a contactou para lhe pedir a biografia em vez de a copiar.

Para esta pergunta tenho eu a reposta: Porque para isso seria necessario revelar que o dinheiro destinado aos artistas nacionais era ele que o ia embolsar...

2 commenti:

Syca ha detto...

lol pois... e ele queria o dinheirinho todo para ele. Alguem ja te respondeu ao mail que mandaste?

alex ha detto...

vi ontem a cena na televisão. percebi logo quem era a escultora a quem gamaram o currículo, o nome não me era estranho... ;)
que grande fraude, pá.
esse tal cerny não terá vergonha nas trombas?