lunedì 28 gennaio 2008

Triste Lua

Chamam-te mulher a dias
E chegas de manhãzinha:
Calças uns chinelos velhos
A entrada da cozinha.

Viva, Senhora Maria!
Bom dia, minha Senhora.
Lavas a casa dos outros
E à noite vais-te embora.

Já descalçaste os chinelos,
Já acabaste o teu dia:
Boa noite, minha Senhora!
Adeus, Senhora Maria!

E na mala de plástico
Metes restos de comida:
Agradeces à senhora
A caridade cumprida.

Moras tão longe, num quarto,
Onde te deitas cansada:
Amanhã outra Senhora
Que quer a casa lavada...

Quando te vejo passar,
A lua vem-me à ideia:
Triste lua dum só quarto,
Na orbita da lua cheia!

Matilde Rosa Araújo in “O Cantar da Tila”

Nessun commento: