sabato 3 marzo 2007

O pescador

Foi pescar com o pai, saiu de casa como um pescador nato, voltou com 5 peixinhos na rede. Confrontado com a possibilidade de doar os peixes aos gatos da vizinha, vacilou por momentos, avançou a hipótese de os dividir, mas depois, orgulhoso da sua conquista decretou: quero come-los agora! Foi assim que às 17.45 me encontrei de luvas de borracha na cozinha, a limpar tripas e a cortar cabeças de peixe. Escamei, lavei empanei e fritei. A mim bastou-me a empresa da limpeza para ficar sem apetite. Ele, comeu tão satisfeito que nem deu pelas espinhas. Adormeceu. Ainda dorme. Esta noite dorme o sono dos justos.